PROCURE SEU FILME NO SPACE MONSTER



.

.

domingo, 14 de setembro de 2014

SOLARIS -1972



SINOPSE:

O famoso psiquiatra Kris Kelvin (Donatas Banionis) vai à estação espacial Solaris com uma importante missão científica: decidir se deve o trabalho realizado de investigação sobre um misterioso planeta deve continuar. Ao chegar à estação Kelvin já é surpreendido pelo suicídio de um dos integrantes da tripulação, sendo que outros dois, Snaut (Jüri Järvet) e Sartorius (Anatoli Solonitsyn), estão à beira da loucura. Com o tempo o próprio Kelvin passa a se sentir estranho, tendo transes oníricos onde vê sua ex-esposa Hari (Natalya Bondarchuk), falecida há anos.



Formato: Avi
Qualidade: DVDRip
Tamanho: 1400MB
Duração: 167 minutos
Idioma: Russo
Legendas: Português (srt na pasta)

LEGENDAS TRADUZIDAS E SINCRONIZADAS POR NOSSO AMIGO E COLABORADOR PETER HAMMILL

Links em 3 partes 4shared:


senha p/descompactar
www.cinespacemonster.blogspot.com






COMENTÁRIOS

Solaris" escrito pelo espetacular STANISLAW LEM é uma obra prima da ficção científica, sim, mas, antes de qualquer outra coisa, Filosofia e Poesia puras, um verdadeiro tratado da natureza humana, ou melhor, de como deveria e poderia ser essa natureza, se há, de fato, alguma. Lirismo puro, uma viagem onírica e lisérgica pelos labirintos e porões desta entidade obscura e fascinante chamada mente humana, ou pela própria consciência. O planeta Solaris pode ser isto também: uma manifestação figurativa da nossa mente, dos nossos anseios, nossas paixões, angústias, dores e prazeres, do bem e do mal, sendo, ao mesmo tempo, metafísico e psicológico na sua essência, na sua natureza. É um filme de amor e de paixão, de sentimento, da mais pura e genuína reflexão filosófica, visualmente poético, e dono de uma linguagem única e complexa. Uma experiência cinematográfica plena, em todos os sentidos, que transcende o próprio cinema como linguagem reflexiva e de caráter filosófico, algo que só um cineasta transgressor e profundo como Andrei Tarkovsky pôde passar para o cinema com lirismo e poesia. 
Solaris é o contraponto soviético ao filme 2001: Uma Odisséia no Espaço, de Stanley Kubrick, sendo chamado de "anti-2001". Segundo Tarkovski, o filme de Kubrick é um blefe, estéril e frio. Stanislaw Lem quase não permitiu a adaptação de Tarkovski, uma vez que o diretor russo inicialmente insistia em retirar do roteiro toda a alusão à ficção científica, o que desagradou profundamente o escritor polonês. Tarkovski cedeu e a ação se dá principalmente em uma estação espacial que orbita Solaris.

STANISLAW LEM GÊNIO RESPONSÁVEL PELO LIVRO
QUE QUASE NÃO PERMITIU A ADAPTAÇÃO DE TARKOSKI

ANDREI TARKOVSKI GÊNIO RESPONSÁVEL PELO FILME

No filme de Tarkovski, Solaris é um planeta que possui um enigmático oceano que supostamente "lê" e "materializa" os pensamentos de seres humanos, no caso cientistas russos, que estão localizados em uma estação que orbita tal corpo celeste, cujo objetivo principal é estudar os efeitos deste sinistro astro. A espera incontável é por um contato, supondo-se que alguma inteligência habite Solaris, e o incompreensível e inefável oceano parece ser o maior candidato a tal embaixada extraterrena, semelhantemente à figura do monolito em "2001...", podendo ser visto e/ou entendido também sob essa ótica. Mas o oceano do planeta parece transcender, ou, em outra perspectiva, ir além da possibilidade teórica de ser este um ente pensante, ou uma "substância pensante" (tanto no sentido de Berkeley, tanto em relação ao ser percepiente finito, quanto à substância divina, infinita dada a sua natureza, quanto em outro sentido filosófico deste termo): o oceano "pensante" solarístico é causa desta suposta materialização dos pensamentos de seres finitos nos seus atributos, e não efeito do seu próprio "autopensamento", digamos assim. Isto talvez reflita o caráter eminente e substancialmente humano de "Solaris ", que, a meu ver, é muito mais um filme que fale sobre amor, poesia e sentimentos do que uma ficção científica propriamente falando, pois esse último aspecto parece estar mais relacionado ao fato de tudo se passar na órbita de um outro planeta, com cientistas a bordo discutindo sobre radiação e neutrinos (bem, o misterioso oceano passou a "agir" assim após sofrer um bombardeamento de raios X). 



DIREÇÃO
Andrei Tarkovski

HISTÓRIA
Stanislaw Lem

ROTEIRO
Andrei Tarkovski e Friedrick Gorenstein

ELENCO

Natalya Bondarchuk
Donatas Banionis
Jüri Järvet
Vladislav Dvorzhetsky
Nikolai Grinko
Anatoli Solonitsyn


























SCREENSHOTS


sábado, 13 de setembro de 2014

RODAN THE FLYING MONSTER aka SORA NO DAIKAIJÛ RADON - 1956

POSTADO PRIMEIRAMENTE EM 22/10/2010



SINOPSE: Durante uma escavação mineiros descobrem insetos gigantes , mas este não é o maior problema, pois também acordaram um enorme monstro voador descendente dos pterodactilos, como se não bastasse logo descobrem outro Rodan e juntos destroem tudo por onde passam.





Formato: MKV/BRRip /Qualidade de Imagem Ótima
Tamanho: 395MB
Duração: 82 minutos
Idioma: Japonês
Legendas: Português (srt na pasta)
LEGENDAS TRADUZIDAS POR RAFAELLO


LINK ÚNICO 4SHARED


senha p/descompactar
www.cinespacemonster.blogspot.com






Comentários: 

Rodan foi lançado no Japão em 1956 como "Sora No Daikaijū Radon" que significa " Rodan Monstro Gigante do Céu ", foi o primeiro filme da série de monstros gigantes filmado em cores pelo "tokusatsu toho Studios", este grande clássico tem um ritmo bem dinâmico diferente dos outros 2 Godzillas anteriores, que tinham movimentos lentos para demonstrar que eram enormes e pesados, neste tanto Rodan como os outros monstros tem movimentos rápidos e as cenas ficaram bem emocionantes e prende a atenção de todos os fãs sem piscar os olhos.
Na versão original japonesa , que é a disponibilizada aqui, ele se chama RADON ,  dizem que fora do Japão foi mudado deliberadamente para Rodan , para evitar confusão com a subs química (inseticída) rádon, o nome original é mantido na versão dublada em inglês de " Godzilla vs Mechagodzilla II " de 1993.


EQUIPE DOS EFEITOS ESPECIAIS DE EIJI TSUBURAYA POSICIONANDO RODAN NA INCRÍVEL MAQUETE DA CIDADE



Direção: Ishiro Honda

História: Ken Kuronuma

Roteiro: Takeshi Kimura e Takeo Murata

Produção: Tomoyuki Tanaka


Special Effects by

Eiji Tsuburaya .... director of special effects
Akira Watanabe .... special effects art director

Visual Effects by

Hiroshi Mukoyama .... special effects opticals
Sadamasa Arikawa .... special effects assistant camera (uncredited)

























ELENCO:

Kenji Sahara ... Shigeru Kawamura, colliery engineer (as Kenji Sawara)
Yumi Shirakawa ... Kiyo, Shigeru's lover
Akihiko Hirata ... Professor KYUichiro Kashiwagi (biology)
Akio Kobori ... Police Chief Nishimura
Yasuko Nakata ... Female Honeymooner
Minosuke Yamada ... Colliery Chief Osaki
Yoshifumi Tajima ... Izeki, reporter of Seibu Nippou
Kiyoharu Onaka ... Male Honeymooner, Sunagawa's friend (as Kiyoharu Ohnaka)
 Ichirô Chiba ... Chief of police station
Mike Daneen ... American Soldier Typing
Tazue Ichimanji ... Haru, Kiyo's neighbor
Saburo Iketani ... News Reader
Saburô Kadowaki ... Sunagawa's colleague
Tateo Kawasaki ... Tsunesan, miner
Kanta Kisaragi ... Suteyan, miner
Takuzô Kumagai ... Policeman Tashiro (as Jirô Kumagai)













































SCREENSHOTS: